Hip Hop Rádio

Queima das Fitas de Lisboa teve direito a Wet Bed Gang, Profjam, Lhast… e “Sushi”

Depois do Porto e de Coimbra, foi a vez de visitarmos a Queima das Fitas de Lisboa. Os concertos em destaque para o mundo do Hip Hop deste ano foram Wet Bed Gang na quinta-feira e ProfJam na sexta-feira.

Mal se ouviram os primeiros acordes de “Mesa Oito” as atenções do público viraram-se todas para o palco. Podem ter “sobrado garrafas na table”, mas a party ainda só tinha começado. O grupo de Vialonga passou o concerto acompanhado pelas vozes dos fãs numa viagem por temas como “Mais Caro”, “Chaminé”, “Aleluia” e “Bairro”.

Para além da energia habitual a que os quatro já nos habituaram, neste concerto trouxeram uma convidada muito especial que deixou a audiência em êxtase. Nenny subiu ao palco para cantar o tema “Sushi” e, com apenas 16 anos, mostrou que já tem os fãs mais do que conquistados.

No dia seguinte, foi a vez de ProfJam dar uma lição de Hip Hop aos estudantes lisboetas. O CEO da Think Music entrou em palco “para limpar o roupeiro” e dividiu a atuação por temas mais antigos e mais recentes. Desta vez, não contou com a presença de Yuzi para cantar a “Gwapo”, mas o público fez questão de que ProfJam não sentisse a sua falta.

Entre temas como “Xamã”, “Na Zona” e “À Vontade” houve ainda tempo para Mário Cotrim cantar um freestyle acappella e chamar Lhast ao palco para cantarem juntos o tema que deu origem ao maior moshpit da noite.

Contudo, não só de Hip Hop se fez a festa. A Queima de Lisboa esteve mais uma vez com uma excelente organização num bom recinto com dois palcos, diversões e um escoamento quase perfeito das filas de entrada. Tem-se notado uma melhoria constante neste tipo de eventos que só tendem a ficar melhor com o tempo. Já ansiamos pelo próximo!

Reportagem por André Batista com fotografia por Rodrigo Santos para ver aqui.

Leave a Comment