Hip Hop Rádio

Praia. Skate. Rap. Haverá melhor forma de começar o verão? (Sumol Summer Fest – Dia 2)

Depois de um primeiro dia cheio de energia, o Sumol Summer Fest preparava-se agora para o seu segundo e último dia. Mais um dia de rap, mais um dia de boa música.

Os dias começam cedo na Ericeira. Laro Lagosta no primeiro dia e Oker neste segundo começavam a pintar na zona do Palco Quicksilver por volta das 15h até à hora do primeiro live act da tarde. Cálculo era o senhor que tinha como função abrir as ostes musicais no último dia de Sumol Summer Fest. O MC barcelense fez-se acompanhar de Mace e apresentou-se com banda. Com uma “voz de rádio” notável (quem lá esteve percebe do que estamos a falar) muitos foram os sorrisos que cálculo conseguiu “sacar” à plateia que era muita e vibrante. Um espetáculo cheio, uma musicalidade imensa, uma performance segura fizeram a vibe perfeita para trazer hits como “Salvar o Mundo”, “Não Paro” ou o mais recente “Caixinha”. Harold apareceu para “Iguais” e Zim para “Complicado”. Cálculo assenta muito bem nestes concertos ao final de tarde, o seu tipo de música é com eles compatível no entanto esperamos, e sabemos que não vamos esperar muito, para o ver em palcos maiores.

Deslocámo-nos depois para o palco Sumol onde às 20h iriam atuar Grognation. O coletivo de Mem-Martins há algum tempo que não ia a palco portanto era um dos concertos que tínhamos mais vontade e curiosidade de ver. Não ficámos desiludidos mas sim surpreendidos. O concerto de Grognation foi um dos melhores (senão o melhor) da edição deste ano do Sumol Summer Fest. Com uma energia em palco inesgotável, o coletivo soube analisar com perfeição para que tipo de público estava a atuar e libertou todas as suas faixas “banger”. “Molio” e “Vou na mesma”, logo a abrir meteram todos a saltar havendo claro espaço para momentos mais introspetivos como “Voodoo” ou “Amar Para Esquecer”. Um dos momentos mais lindos de todo o festival foi a retrospetiva da carreira que já vai longa. Os Grognation passaram por todos os seus hits desde o início até aos dias de hoje numa espécie de Medley… ninguém ficou indiferente e muitos ficaram surpreendidos com tanto reportório. Mas o caminho é para a frente e os “Grog” ainda têm muito para dar. “Pescoço” e “Cara” fizeram parte do alinhamento, estas que são faixas do próximo álbum do grupo produzido por Sam the Kid. Uma atuação “redondinha”, são seis pessoas em palco mas funcionam como um só e mesmo com a adição de b-boys a determinada altura do concerto, essa organização não se perdeu. “Barman” fechou o espetáculo em completa apoteose com Neck nas grades e Nasty Factor a fazer crowdsurfing. Um dos concertos deste verão.

Tempo para uma pequena pausa em termos de concertos de Hip-Hop com Deejay Télio a subir a palco por volta das 21h30. O Hip-Hop no entanto está sempre presente ora não fosse Bispo convidado de Deejay Télio para “Com licença”, um dos hits deste verão.

Posto isto, HollyHood era o artista que se seguia no palco Sumol.

O MC da Linha da Azambuja entrou em palco com Stone Jones e Here’s Johnny como já é habitual. Num concerto sem grandes surpresas (não precisava disso na realidade), o rapper chegou, viu e venceu. Muitos foram os moshpits que aconteceram. Sobre “Miúda” Hollyhood: “Pessoal tudo a fazer mosh agora pq este é o único som de amor da tuga em que dá para fazer isso”. E assim aconteceu. No Money foi convidado a aparecer em palco tal como L-Aly e temas como “Ignorante”, “Fácil” ou “Cala a Boca” puseram a plateia ao rubro. A afirmação de uma artista que há muito já merecia pisar um palco com esta dimensão.

Seguiram-se os principais cabeças de cartaz do Sumol Summer Fest 2019. Os Brockhampton vieram deste os EUA até Portugal e mostraram o porquê de terem tantos fãs no recinto do festival. À semelhança de GrogNation apresentaram uma organização e pujança enormes durante todo o concerto. Muitos foram os gritos, letras sabidas de cor e salteado e é moshpits (proporcionaram o maior número da noite) durante temas como “Sweet”, “Gold”, “ New Orleans” ou “1999 Wildfire”. Um dos melhores nomes internacionais que passaram pela Ericeira.

Mais um ano Sumol Summer Fest, mais grande início dos festivais de verão. Esperemos que seja sempre assim: com muito rap no cartaz.

Até para o ano Sumol!

Foto-galeria por Beatriz Dias para ver aqui.

Leave a Comment