Hip Hop Rádio

“PABLO” | Coca que cola

Há coca que cola. O cartel de X-Tense aka Pablo promete dar que falar e que dealar. No entanto, a droga que vendem estes narcos é droga musical. Droga para os ouvidos. Mas como podemos perceber pelo primeiro episódio desta série que tanto promete, é droga que cura, droga viciante e que faz bem. “Mykel leva esse pendejo para cima, põe-o a cocaína 2 dias, ele deve ficar melhor“.

Tal como o diamante e a grafite, em que apesar da comum composição por carbono e a diferença de o primeiro custar milhões e o outro tostões, a cocaína e a codeína são drogas que têm em comum serem viciantes mas que revelam diferenças astronómicas:

A coca musical de Pablo é o conteúdo, é a conjugação perfeita de letras, ritmos e instrumentais que nos deixam hype como o myke e à espera da próxima dose, que nos fazem sentir noutra dimensão e nos dá vontade de ouvir e ouvir e ouvir novamente, além de que faz bem. “La cocaína é a droga original, da qual originou toda a obra prima que faz ouvir hip hop.” E X-Tense jura que a sua coca e a sua viola darão que falar.

Por sua vez a codeína “é uma droga simples nem tem fórmula química” que é vendida por diversos cartéis e parece (infelizmente) neste momento ter mais mercado e mais consumidores que a cocaína. Los Mambleros são, no episódio que X-Tense genializou, a representação desse mercado. La codeína, ao contrário da coca, não é conteúdo. A coda “é gritos é ruídos é prr”, não passa de flexs excessivos, de um conjunto de notas musicais (e não só deste tipo de notas) que se entranham no ouvido, não saindo e precisando de aplicar uma cura duradoura que apesar de tudo é bastante simples: ouvir boa música, ouvir bom rap. É uma droga perigosíssima que fica no ouvido e pode provocar uma morte (mental) dolorosa. Fatores secundários são a perda de QI. Cuidado com a overdose, dado que “é tão fácil de encontrar” e “está a vender como se fossem noggats“.

Um facto bastante curioso é que de todos os cartéis, o de Los Mambleros deve ser da melhor coda que já se consumiu, e até nisto X-Tense é um génio: até a fazer o que não gosta tanto é bom. Já agora, na música Mi Coda Su Coda/Su Coda Mi Coda (já que é a mesma música), o “bacon cebola alface” é qualquer coisa de outro mundo.

“A los genios siempre nos tildan de locos”

Fazendo lembrar a série Narcos da Netflix e a rivalidade Medellin vs Cali, este episódio cativa e faz os espetadores desesperarem pelo próximo. Porque Pablo é isto. É ser tão bom no que se faz que ele nos oferece isto tal como Pablo Escobar deu dinheiro às pessoas quando já nem sabia o que fazer com ele, isto é, o nosso Pablito X-Tense tem tanta classe musical que para além de coca, até coda escreve com qualidade. A ideia da série não só é original como é de uma genialidade estupenda. O conceito, a realização, o fim. Esbanja qualidade e promete.

A verdade é que X-Tense nunca conseguiria que a realização ficasse tão boa sozinho. Porque por mais que um cartel seja bom, sem hermanos nos quais possas confiar é mais complicado. Parabéns a todos os que tornaram este episódio incrível com participações simples mas impecáveis: Pepe (Pedro Durão), Mykel (Hype Myke), Uzzito (Uzzy), Malavero (Raptruísta), Piña (Smile). Um desempenho fantástico dos seus papéis. Não esquecer também Los Mambleros: El Chato (Pedro Sousa), Codiño (Carlos Pereira), Duarte Silva (Calavera) e Constanza (Isa Carolina), que apesar de interpretarem uns malparidos, foram e serão essenciais na temporada, além de que o papel que desempenham, para além de hilariante, é cativante.  Será que aparecerão novos atores e outros cartéis? (Um dos efeitos secundários da coca é, como podem ver, o desejo de novas surpresas por parte de X-Tense).

Por fim, “Pablo Pablo és um incansável“. Que continues a dealar e a proporcionar-nos episódios e músicas deste género, porque de facto és dos melhores traficantes e a tua cocaína é pura, é viciante… é rap. Recordo uma frase do Sam: “Vou dealar traficando com carinho“. Porque é com noção e com gosto no que se faz que a música se cria. Não pares Pablo, continua “Así” hambriento e com ganas de singrar, porque criaste um grupo gigante de toxicodependentes da tua cocaína e vais ter que arranjar produtos de igual qualidade como os que tens produzido. Arriba Pablito!

Leave a Comment