Hip Hop Rádio

O meu STK não é o teu STK e é isso que o torna enorme

Texto: Daniel Pereira
Fotografia: Lucas Coelho


Desta vez, escrevo não como repórter da Hip Hop Rádio, mas como Cigas. Faço-o, pois é impossível reportar o concerto da passada sexta-feira sem meter um cunho pessoal. Sam The Kid deu um espetáculo tão especial que de certeza tocou todos os presentes, mas mais importante: tocou cada um de maneira diferente. Fiquei estupefacto quando Napoleão Mira abriu o concerto, cantei como se não houvesse amanhã em “À Procura da Perfeita Repetição” e emocionei-me na “Retrospectiva de um amor profundo” e na “Negociantes”. Outros poderão ter cantado cada linha de “Sofia”, ficado nostálgicos em “O Crime Do Padre Amaro” e saltado que nem loucos com os instrumentais das músicas dos Orelha Negra.

Os momentos que cada um tirou para si são únicos porque o meu STK não é o teu STK e é isso que o torna enorme.

No coliseu não estava um tipo de público específico. Não havia homens, mulheres, novos, velhos, chungas, betinhos e havia eles todos. Se for para dar uma denominação ao público digo simplesmente (mas que de simples não tem nada) que era Hip-Hop no seu estado mais puro.

E destes Hip-Hop Heads é certo que todos ficaram maravilhados com a viagem temporal que Sam proporcionou, com a quantidade e qualidade de convidados que trouxe e com a performance exímia em que tantas e tantas barras complexas foram “dropadas” sem um único erro – pelo menos que eu tivesse captado. Ah, houve também uma orquestra que preencheu todo o palco. Sinto-me mal por quase meter isto em segundo plano.

Ninguém ficou indiferente a um concerto que, tal como tudo o que Sam The Kid faz, se torna um clássico instantâneo. Aqui, nasceu um novo marco na história do Hip Hop Tuga e no final do dia cada um levou para casa o seu conjunto de momentos especiais que esperava ver e ouvir quando entrou no Coliseu Dos Recreios. Ninguém, rigorosamente ninguém, saiu desiludido.

Passados dois dias todos se perguntam se vão haver mais concertos ou quando irá acontecer o regresso com novo álbum. Completamente expectável. Depois de sexta-feira ficou muita água na boca, no entanto, o momento tem de ser para desfrutar, refletir e agradecer.

Samuel é um artista ímpar em Portugal e não tem de mostrar nada de novo para provar a sua grandeza. Tudo chegará até nós a seu tempo, quando ele encontrar o momento certo e sendo assim… a cena sai(rá) sem pressões.

Leave a Comment