Hip Hop Rádio

Mad Ground: Era impossível sairmos de lá chateados


Existem vários significados para “Mad”: louco, furioso, maluco, raivoso, entre outros. Pelo título é fácil de perceber qual é o que mais se adequa a esta festa. A Mad Ground contou com oito artistas numa só noite, quatro deles de Hip-Hop. | Por Daniel Pereira


Desde 2017 que fazemos questão de estar presentes nas festas de Santiago do Cacém. O salão de festas foi sempre o mesmo: o principal pavilhão da cidade. Apesar da organização ter passado algumas vezes de testemunho a qualidade das festas tem-se mantida semelhante com uma tendência claro de melhoria contínua. Atualmente é a MAD, nova promotora que conta com o apoio da agência de viagens Gate1 quem “gere” este novo conceito. A Mad Ground foi a primeira de muitas festas que vão surgir (num curto espaço de tempo entre cada uma) nesta cidade do litoral alentejano.

Um newcomer com qualidade, uma batalha da Liga Knock Out e um showcase do seu host que dispensa apresentações foram as opções de um cardápio que contou, entre outros estilos, com muito Hip-Hop.

Liga Knock Out: Wilson G vs Suli B

Já com a noite bem adiantada, a festa que até então tinha sido bastante dançável devido aos dois djs que já tinham passado pelo palco, deu lugar à palavra e ao confronto (no melhor sentido da palavra). Com 3 rounds e a moderação de Malabá foram muitas as dicas entre Wilson G e Suli B que se puderam ouvir no pavilhão. O público correspondeu e soube fazer silêncio e barulho nos momentos certos de uma batalha que foi renhida pois tanto o rapper da margem sul como o MC da Amadora souberam estar à altura. A vitória? Teriam de perguntas ao público mas acreditamos que as respostas seriam bastante variadas.

Guynna6

Admitimos: Não conhecíamos o trabalho deste MC de Alcácer Do Sal. Do que pudemos assistir na Mad Ground temos de elogiar principalmente a presença em palco e a empatia com o público que em grande parte desconhecia o seu trabalho mas vibrou e bastante. Guynna6 deu excelentes indicações e causou-nos um medo: há por aí muitos artistas desconhecidos que infelizmente não conhecemos e gostaríamos de dar voz.

Malabá

Um dos nomes mais aguardados na noite. Já o tínhamos visto a entrar ao som do genérico da Liga Knock-Out aquando da batalha mas agora era tempo de showcase em nome próprio. Com uma energia sempre vibrante Malabá contagiou todos os presentes e no final do concerto confessou-nos até que já não ficava sem voz há uns bons anos. A agressividade em “O Nosso Som”, a estreia ao vivo de “Bang Bang” e o refrão em uníssono de “O Circo”, faixa que conta com a participação de Sacik Brow e Evang foram os pontos altos deste concerto.

A Mad Ground acabou às 6 da manhã com o público a pedir mais e a ansiar pela próxima festa neste espaço.

Acreditamos que tenham ficado, tal como o público, bastante empolgados com o que leram portanto anunciamos aqui e em primeira mão que a próxima festa da Mad será dia 23 de fevereiro. Acham que há razões para faltar?

Foto Galeria por Daniel Pereira aqui

Leave a Comment