Hip Hop Rádio

Dissecação | GriLocks

“Mente rasta no hip-hop, natty dread” 

Natural da Margem Sul de Lisboa, artista e compositor com um hip-hop consciente, com algumas referências do movimento rastafari, abordando por vezes as questões e injustiças sociais, como as questões do nosso interior e da nossa maneira de estar e de ver a vida | Por Jéssica Ferreira

João Grilo, mais conhecido por GriLocks, é um jovem músico natural do Miratejo, um dos berços do rap em Portugal, lugar que leva sempre com ele nas suas rimas e faz questão de salientar. Com uma mensagem de paz, amor, respeito e união desde a primeira mixtape Fyah Na Babilónia (2012), começou a chamar a atenção das pessoas e desde então nunca abandonou essa base nos seguintes trabalhos que viria a divulgar, revelando fortes raízes no reggae.

“Rap é responsabilidade, compromisso e atitude
Rasta é mudar o mundo e não esperar que ele te mude
Por mais que a gente mude de solo o céu é sempre igual
Raízes são as amizades e o nosso colo maternal
Trago o Miratejo no peito, a rua guarda o que eu fiz”

 

GriLocks faz questão de levar consigo a mensagem ou o movimento rastafari nas rimas e expõe os seus pensamentos acerca das relações, da vida e das questões sociais, relembrando sempre de onde veio e quem o acompanhou.

“Eu vim de Zion, filho de Selassie The King, com a visão aberta e nela o sonho de Luther King.” 

Como sempre, as referências ao movimento rasta e agora ao sonho de Luther King, a liberdade. GriLocks vai demonstrando a sua visão perante o mundo e tudo o que rodeia com pontos e pessoas de referência que o influenciaram.

“Inspirado por Rui Veloso, Vitorino e Camané,
 o meu hip-hop são epopeias e tu?
Poupa as ideias”

GriLocks conta com inúmeras inspirações na sua vida artística e expõe as suas influências em vários versos, neste caso com os artistas citados como ponto fulcral de inspiração. Também expressou sempre a sua vontade perante a existência da consciência coletiva, não exclusiva mas sim de toda a gente, das pessoas que o rodeiam, das pessoas que lutam pelo mesmo que ele luta. 

Eu sou a prova viva
que a arte está bem viva,
nós somos a prova viva da consciência coletiva
” 

Nas suas rimas GriLocks tenta manter o equilíbrio sobre os assuntos que vai expondo e assume um compromisso com o rap como sendo uma parte dele. Em inúmeros versos faz críticas sociais de como seguem todos um só caminho, cegos da verdade. Menciona mais uma vez a “cena rasta” como algo sério e não apenas aparências.

Levo a cena Rasta a sério não é só um penteado diferente
Tu não precisas de ser igual aquilo que é uma maioria
Acredita que não é real, justiça e tal democracia
Eles comem tudo já o Zeca Afonso dizia
Abri a pestana desde cedo com a música que o meu pai ouvia”

Com uma vontade imponente de expressar o seu pensamento sobre o sistema e as pessoas que nos rodeiam, GriLocks tenta sempre expressar uma mensagem de positividade e mudança de mentalidade.Mais uma vez salienta que a cultura que carrega é vasta e não se prende a uma só “verdade”, foi moldando o seu pensamento com o passar do tempo mantendo sempre a base de tudo: paz, amor, união e respeito. 

Meu estilo é diferente sou tranquilo e reverente
Faço pela minha gente, faço por te abrir a mente
Cedente e coerente vou-me excedendo sem excepções
Não vim para ser servente de meras opiniões
Minha cultura é vasta, raízes são de um rasta
Só Jah me afasta desta cidade rasca
E essa atitude de Hollywood que só te ilude
Ser rude passou de ser defeito a ser virtude” 

(Fotografia de Arquivo)

3 thoughts on “Dissecação | GriLocks”

Leave a Comment