Hip Hop Rádio

“Desghosts” só mesmo no título: Stereossauro apresentou o novo disco no Capitólio

No passado dia 6 de novembro, o Capitólio recebeu o concerto de apresentação de “Desghosts & Arrayolos”, novo disco de Stereossauro, e a Hip Hop Rádio esteve presente. Este álbum duplo contou com várias colaborações dos mais diversos estilos musicais e, como tal, esperava-se um espetáculo único, não estivesse a noite repleta de convidados como Aurea, Blaya, Carlão, Chullage, Manel Cruz, Marisa Liz, MC Zuka, Sara Correia, Selma Uamusse e xtinto.

A noite arrancou pouco depois das 21h30 com DJ Ride, numa altura em que ia começando a surgir cada vez mais público. Meia-hora depois o relógio marcava 22h quando Stereossauro subiu ao palco, estando acompanhado do já apresentado DJ Ride, mas também de Nuno Oliveira na bateria e Bruno Fiandeiro na guitarra. O DJ e produtor percorreu o seu novo disco na íntegra (e mesmo alguns sons de “Bairro da Ponte”), incluíndo as faixas resultantes de parcerias com artistas que não estiveram presentes. “Salto”, música que nasceu de uma colaboração com New Max, foi a escolhida para abrir o show.

Foto: Fábio Gonçalves

Não tardou muito até entrar em cena a primeira convidada da noite – Selma Uamusse – que subiu ao palco logo após o primeiro tema. “Vêm aí vozes incríveis, só venho aquecer”, dizia a própria; contudo, entregou ao público uma interpretação que foi além de um mero aquecimento, mostrando ali um pouco da qualidade que a noite avizinhava.

De seguida surgiu xtinto para cantar “Saia”, um dos temas que mais facilmente fica no ouvido graças ao seu instrumental, mas sobretudo pela lírica, que possui referências às “Sete Saias” (Nazaré) e à música popular portuguesa “Ó Rosa Arredonda a Saia”. O rapper mostrou-se muito bem na atuação, aliás, foi um dos melhores da noite. Curiosamente – e fica a incógnita se terá sido propositado ou não – um dos versos de “Saia” é “Malmequer, bem me queres, de rojo a apanhar cada pétala que caia”. Na verdade, a interpretação de xtinto aconteceu imediatamente depois de “Malmequer”, tema colaborativo entre Stereossauro e New Max ter sido tocada em palco.

Foto: Fábio Gonçalves

De seguida chegou Manel Cruz para interpretar “Mar de Gente”, um dos artistas mais aplaudidos e acarinhados da noite, até mesmo pelo próprio Stereossauro, que não escondeu a sua admiração pelo músico. A seguir, foi tempo de voltar a tocar “Flor de Maracujá”, um dos sons inseridos no álbum anterior, mas sempre agradável de se matar saudades, não fosse uma das melhores faixas do DJ e produtor.

Aurea foi a convidada seguinte para cantar “Mais Que Tudo” – cujo videoclip foi lançado precisamente hoje (dia 10 de novembro) -, com uma interpretação sólida e muito confiante. Depois desta atuação, que foi também uma das melhores da noite, pouco deu para recuperar, pois veio logo a seguir Sara Correia. Sabem quando estão a ouvir uma música num concerto e querem ouvir outra vez logo a seguir? Foi essa a sensação transmitida durante quase toda a atuação, devido à mistura da voz da fadista com um instrumental poderoso, que se complementaram muito bem, resultando numa atuação arrebatadora. “I told you so”, bem disse Stereossauro no fim.

Foto: Fábio Gonçalves

O concerto redirecionou o foco aos sons de “Bairro da Ponte”, desta vez com “Depressa de Mais” e, logo a seguir, “Barco Negro”. Seguiu-se Blaya, que chegou e interpetou “Pensão do Amor”, um dos sons já conhecidos antes da apresentação oficial do disco e também um dos que mais facilmente ficam no ouvido, sobretudo a parte do refrão. A artista, que foi comunicando várias vezes com o público, soube estar à altura da energia que a música pedia, levando Stereossauro a dizer no fim: “Fiquei a suar”. MC Zuka seguiu-se na lista de convidados com o tema “Senta”, uma faixa bastante agradável e, tal como a última, também a pedir mais energia.

Foi vez de chegar Chullage, curiosamente o único convidado que interpretou uma música do álbum “Bairro da Ponte”. O rapper oriundo da Arrentela fê-lo de forma irrepreensível, honrando este FFFF, ou melhor dizendo, “Fado, Futebol, Fátima, Festivais e Facebook”, que bem mereceu ser revisitado com o seu intérprete a cantá-lo ao vivo.

O espetáculo caminhava a passos largos para o fim. Depois de “Nunca Pares” (do álbum “Bairro da Ponte”), subiram ao palco Carlão e Marisa Liz, os dois convidados que ainda não entrado em cena. Se algumas atuações já tinham tido partes com explosões de energia, quando chegou a vez de “A Noite” – som também lançado antes do disco -, o êxtase durou do início ao fim, tendo sido sem dúvida uma das músicas em que mais se notou mais o público a manifestar-se, saltando repetidamente ou mesmo cantando em coro. Estava mais do que explicado – e com motivos para tal – o porquê de, antes de o concerto começar, serem várias as pessoas a falarem desta música em concreto.

O alinhamento chegou ao fim com mais uma revisitação ao último álbum, através de “Verdes Anos” de Carlos Paredes. No entanto, e não tivesse avisado já Stereossauro – “A Sara pode entrar em palco quando ela quiser” -, o concerto culminou com uma nova interpretação de “O Mundo Há de Ser Mais” por parte de Sara Correia.

O público aplaudiu de pé todos os intervenientes neste espetáculo cheio de boa vibe, que voltaram ao palco para agradecer. Embora este trabalho duplo de Stereossauro se intitule “Desghosts & Arrayolos”, a verdade é que curiosamente o espetáculo ali proporcionado esteve longe de ser um desgosto ou algo que desse vontade de “dar ghost” antes do seu fim: pelo contrário, a dinâmica do concerto manteve-se bastante agradável ao longo do tempo, sem se notar grandes quebras no ritmo da noite. Na verdade, foi um “arraial” (como o próprio associou ao nome “Arrayolos”) com boa energia em pleno Capitólio. Depois de “Bairro da Ponte”, o DJ e produtor mostrou uma vez mais o quão bem resulta a sua criação artística com o recurso a vários artistas de estilos muito diferentes uns dos outros. Notou-se claramente que se trata de um disco feito para ser tocado na presença do público, um facto reforçado pela interpretação dos convidados, que conseguiu superar ainda mais as versões em estúdio.

Foto: Fábio Gonçalves

“Desghosts & Arrayolos” já se encontra nas plataformas digitais. Entretanto, no próximo sábado, Stereossauro estará presente na próxima sexta-feira, pelas 22h, no Time Out Market (Lisboa) num concerto que resulta de uma iniciativa da Super Bock.

Leave a Comment