Hip Hop Rádio

Carina Ferreira

Toy Toy T-Rex regressa em dose dupla

Toy Toy T-Rex está de volta com dois novos temas. O artista lançou “É Assim” e “Guud”, duas apostas do artista para este verão.

“É Assim” é um tema cuja lírica e mistura é de T-Rex, sendo a masterização de benji price e o instrumental de Gibbo. Já em “GUUD”, o artista assina os versos, bem como a mix e master. O instrumental, desta vez, ficou a cargo de wrain. Ambos os sons vêm acompanhados de um videoclip já disponível no Youtube, contando com We The Gang na produção e Clout na realização.

Toy Toy T-Rex vai estar este mês no Teatro Tivoli em dose dupla: 23 e 24 de julho são as datas conhecidas até ao momento, estando o dia 23 já esgotado. “É Assim” e “Guud” já se encontram também nas plataformas digitais.

Scorp apresenta “Diamantes”

Depois de “Trash Talk Freestyle”, lançamento noticiado pela Hip Hop Rádio, Scorp está de volta. Um mês depois, “Diamantes” é o seu mais recente tema.

Esta faixa assinala a estreia de Scorp enquanto produtor, como anunciou o próprio no Instagram. O instrumental foi trabalhado por si e Orato, tendo este último colaborado também nas guitarras. A mistura e masterização é da autoria de Tony Bounce e a letra é de Scorp.

O videoclip de “Diamantes” tem a assinatura de DONTLIKE VIEWS e Gonçalo Empis. A faixa já se encontra disponível nas plataformas digitais.

Walez & Alley lançam “Jura”

Walez & Alley juntaram-se em novo tema, “Jura”. A faixa junta uma vez mais os dois artistas da Double Trouble e já se encontra disponível nas plataformas digitais.

“Jura” conta com a produção e composição de Alley, que também colaborou nas guitarras. Walez é o autor da letra e Pablo foi o responsável pela mistura e masterização do tema, feita nos Estúdios Santa Catarina.

O tema contém ainda um videoclip, já publicado no Youtube, da autoria da RuivoStudios.

Chyna lança “Depois da Tempestade”

Chyna está de regresso com um novo single. “Depois da Tempestade” é o tema que sucede a “Ballet”, disponibilizado em setembro do ano passado.

“Depois da Tempestade” é um single onde Chyna procura trazer uma mensagem de força e coragem para aqueles que trilham um caminho em busca dos seus objetivos. A faixa conta com letra e instrumental de Chyna e a produção é da autoria de Duque, contando ainda com a pós-produção de D’ay. A mistura e masterização são Michael Ferreira aka Mic e as cordas adicionais de Syd-V.

O tema fez-se acompanhar de um videoclip, produzido por Rodrigo Balona e com selo da Clout. “Depois da Tempestade” já se encontra disponível nas plataformas digitais.

Festival do Maio: Slow J mostrou-se sem “Nada a Esconder” no encerramento

Passava pouco das 22:30h quando o nome de Slow J foi anunciado para encerrar não só a noite do passado sábado, 29 de maio, mas também a segunda edição do Festival do Maio 2021, onde esteve presente a Hip Hop Rádio. Organizado pela Câmara Municipal do Seixal, o Parque Urbano do Seixal foi o palco escolhido para receber este evento, que nasceu com o intuito de divulgar trabalhos musicais centrados no discurso de intervenção político-social.

Conforme o artista setubalense já havia revelado nas suas redes sociais, aguardava-se para a noite de sábado um concerto acústico – um pouco diferente do habitual, não admira o que o próprio revelou, logo após interpretar “Teu Eternamente”: “Nós hoje decidimos arriscar tudo e não trazer o computador, mas tocar pela primeira vez em acústico… acho que até nos estamos a safar até agora”. Porque “diferente” não tem de ser algo negativo, este risco foi bem tomado desde o início, quando o espetáculo abriu com um agradável solo de cordas, com Nuno Cacho na guitarra portuguesa e Francis Dale na guitarra acústica. A noite já parecia prometer com estes dois instrumentos, que enriqueceram depois as interpretações e tornaram-nas mais íntimas, ao serem acompanhadas pela voz de Slow J.

Foto: Lucas Coelho

Mesmo com as limitações impostas pela atual pandemia, Slow J foi sempre acarinhado pelo público ao longo da noite e o êxtase fez-se sentir assim que subiu ao palco. “FAM” foi a faixa escolhida para o arranque do concerto, que era o seu primeiro do ano, como revelou o artista no fim da música. Não parecia.

Seguiram-se “Também Sonhar” e depois “Pagar as Contas”, cujo calor do público se notou logo, merecendo o agradecimento do setubalense: “Tão lindo, Seixal”, uma frase que Slow J foi repetindo várias vezes ao longo da noite. A atual pandemia e as dificuldades sentidas pelos profissionais das artes não foram esquecidas: “Graças a Deus, como artista, tenho uma vida privilegiada mesmo nestes tempos em que todos estamos a passar tantas dificuldades”, seguindo-se um pedido do músico para que se aplaudisse em nome dos técnicos.

Chegou a vez de “Pagar as Contas” e “Cristalina”, seguida de “Muros”. O público gradualmente se fazia manifestar mais e “Muros” teve um aplauso suficientemente merecido para esta interpretação que mostrou estar superior à versão original, mas o melhor ainda estava para vir: não bastava a qualidade da interpretação deste tema, quando o músico cantou a seguir “Onde É Que Estás” e “Às Vezes”, esta última, pessoalmente, uma das mais sentidas e arrebatadoras atuações da noite.

Nem as máscaras de segurança colocadas pelo público impediram de se fazer ouvir em harmonia os versos de “Water”, em que a voz do público se misturava com a do artista logo desde o início. Como já se calculava de certa forma, esta foi uma das músicas que recebeu um dos maiores aplausos no final.

“Esta aqui não me safo”, dizia Slow J antes da faixa seguinte, “Imagina”. Possivelmente, o próprio é que não imaginava que esta seria uma das mais aclamadas da noite. Se já foi assim apenas com o artista oriundo de Setúbal em palco, então imaginemos se lá estivessem também os restantes protagonistas do tema – FRANKIEONTHEGUITAR e Ivandro…

Foi vez de chegar a grande novidade do alinhamento: Slow J cantou “Nada a Esconder” pela primeira vez ao vivo. Slow J fez jus ao título da canção e não deixou “nada a esconder” sobre as suas qualidades; aliás, foi uma das interpretações onde se notou mais segurança. Sem surpresas e tratando-se da estreia deste single em palco, o músico voltou a receber um dos mais fortes aplausos da noite. Merecido.

Depois de cantar 3,14 – tema em parceria com Gson e Sam The Kid –, o setubalense afastou-se do palco dando vez a mais um solo final de cordas por parte de Nuno Cacho e Francis Dale, que a seguir abandonaram o palco, deixando apenas Slow J em cena. Já enquanto único protagonista ali, foi vez de o músico pegar numa guitarra e interpretar ele mesmo o tema “Vida Boa”, mostrando também ele os seus dotes instrumentais sem se notar que era a primeira música tocada por si naquela noite.

Foto: Lucas Coelho

À medida que o espetáculo se aproximava do fim, a noite começava cada vez mais a arrefecer, mas isso não impediu Slow J de aquecer o público com “Serenata”, com uma excelente interpretação, que contou com a ajuda do público logo desde o inicio.

Por fim, ironicamente o espetáculo fechou com “Silêncio”. Este foi um dos temas mais impactantes no público e que, aparentemente, mostrou não ter limites quanto às faixas etárias que as músicas de Slow J fascina: enquanto o músico interpretava um dos versos “Voltar a ouvir o silêncio” no início da faixa, ouve-se, algures na plateia, uma criança a replicar a palavra “Voltar” com a voz suficientemente alta para que pudesse ter sido ouvida nas proximidades e de ter também gerado reações no público que se encontrava lá perto, o qual certamente não esperava por este momento – um pormenor de ouro para fechar o alinhamento.

Foto: Lucas Coelho

Terminou assim a segunda edição do Festival do Maio da melhor forma, com um concerto incrível de Slow J, onde esteve irrepreensível em geral e seguro nas suas interpretações. Tratando-se do primeiro concerto de Slow J em 2021, o próprio alinhamento escolhido para este regresso aos palcos também merece destaque, por se ter encaixado bem entre si, não deixando escapar nenhuma faixa que pudesse deixar saudades por não ter sido tocada. O público, muito reativo, aplaudiu de pé no final e foram muitas as palmas, bem como também os agradecimentos vindos do outro lado, expressados nas palavras genuínas de Slow J.

Khali apresenta “Havana Street Café”

Khali disponibilizou o seu novo projeto, “Havana Street Café”. Trata-se de um EP composto por cinco faixas, todas elas em formato instrumental.

Ao longo de 11 minutos, os ouvintes podem viajar entre vários estilos, desde jazz e hip-hop, bem como lo-fi e drill. “MidTown Jazz”, “Dreamland Boys Club”, “Devil’s New Dress”, “French 75” e “Something Vintage” são os nomes dos temas que integram esta obra.

“Havana Street Café” já se encontra disponível nas plataformas digitais.

Young Boda “Enche o Copo” com Raul Muta

Young Boda acaba de servir um novo tema, depois de “Endorfina”, a sua última obra. “Enche o Copo” já está disponível nas plataformas digitais e surge em parceria com Raul Muta.

O regresso do artista possui “prazo de validade eterno”, já que “Enche o Copo” é o tema de avanço do seu próximo trabalho, “Saldo Insuficiente”, que aborda questões financeiras, desde salários menos bons a saldos que não são infinitos. A obra sai no dia 3 de junho já é conhecido o alinhamento, que conta com algumas colaborações.

“Enche o Copo” é um lançamento com o selo de Gruta. O tema foi produzido por Young Boda e foi editado, misturado e masterizado na Witch Studios. O artwork é assinado por Mafalda Jesus.

Tekilla e Papillon dão vida a “Lendas”

Tekilla e Papillon colaboraram em novo tema. Depois de 90’s, noticiado pela Hip Hop Rádio, Tekilla juntou-se a Papillon para dar vida à faixa “Lendas”.

Escrito por ambos, o tema foi produzido por Fred Ferreira e Pedro da Linha. A mistura é de Paulo Almeida (Subcave) e a masterização é de Nick Litwin (MasteringMansion). Francisco Gomes foi o responsável pela captação, Ricardo Reis pela produção, tendo a edição do vídeo a assinatura da Unspotted Films.

Este é o segundo single do novo disco de Tekilla, “Olhos de Vidro”, a sair já no próximo mês de junho. “Lendas” já se encontra disponível nas plataformas digitais.

“Azzim e Azzado” é o novo som de X-Tense

X-Tense acabou de lançar um novo som esta noite. “Azzim e Azzado” é o título do tema que estreou há minutos no YouTube.

Esta faixa é extraída do álbum “Nuno”. X-Tense é o autor da letra e do instrumental e a mistura e masterização têm o cunho de Michael Ferreira (“Mic”).

A filmagem e iluminação do vídeo são da autoria de Gonçalo Carvoeiras. Por enquanto, o som ainda não está disponível nas plataformas digitais, mas pode ser escutado no vídeo abaixo:

Pedro Mafama vai “Contra a Maré” no seu novo tema

Pedro Mafama revelou esta sexta-feira o segundo tema do seu novo álbum esta sexta-feira. “Contra a Maré” é a faixa que surge depois de “Estaleiro”, lançamento noticiado pela Hip Hop Rádio há menos de um mês.

Segundo o artista, o tema aborda a distância e o destino em situações em que, numa margem, está alguém que “fantasia com todas as coisas que o seu companheiro, familiar ou amigo está a viver” quando na verdade a pessoa “perdeu-se totalmente do seu caminho e não está a lutar pelos seus sonhos”. A faixa contou com a produção de Pedro da Linha e ainda mistura e masterização de Pedro Franklin. Pedro Mafama é o autor da letra e também o responsável pelo conceito, juntamente com André Caniço. O videoclip foi produzido pela Bro Cinema.

“Contra a Maré” é a segunda música conhecida da próxima obra de Pedro Mafama, intitulada “Por Este Rio Abaixo”. O álbum sai no próximo dia 28 de maio.

Uzzy disponibiliza novo tema

Uzzy tem um novo tema na rua. “Oito Cinco Stilo #4 (Di Caprio)” já se encontra disponível nas plataformas digitais.

Este é o quarto som revelado da saga “Oito Cinco Stilo”, depois do lançamento do terceiro em parceria com Domi, em fevereiro. Uzzy é o responsável pela letra, produção, captação, mistura e masterização.

O tema é também acompanhado por um videoclip produzido pelo próprio. O vídeo contou ainda com Sofia Piçarra.

Scorp lança “Trash Talk Freestyle”

Scorp revelou uma nova faixa, “Talk Trash Freestyle”. O tema surge após cerca de dois meses do lançamento de “ASA”, o seu último EP.

“Talk Trash Freestyle” conta com Scorp na voz e lírica e ainda Orato no instrumental. A mistura e masterização é de Tony Bounce.

O som já se encontra nas plataformas digitais e já passa também na Hip Hop Rádio.